terça-feira, 27 de novembro de 2007

Despontar... part V


Na semana seguinte, apercebi-me do quanto ainda teria que pagar por me ter apaixonado pela pessoa errada. Eras um verdadeiro cabrão e deixavas-me cega de desejo. E muito embora fosse só quereres-me, tu tinhas outras coisas em vista! A tua vingança chegou em todo o seu esplendor! Fim de período - jantar de Natal! Conversámos animadamente à mesa do jantar, mais do que alguma vez faláramos antes. Tu, entre mim e as minhas amigas. Ríamos, deliciados com a presença um do outro. O jantar acabou quando o senhor veio varrer o chão por debaixo das nossas cadeiras. Saímos para a rua. Estava um frio de rachar numa noite de Dezembro sem nuvens. Perguntaste-me onde queria ir beber um copo. Respondi que não podia. Tinha que ir para casa. Era tarde. Tinha horas a cumprir. Os meus pais não eram para brincadeiras. Deste-me um olhar de desprezo, ao qual eu retribui com um olhar de "desculpa-me, queria mesmo ficar contigo"!

Fui embora. No dia seguinte, ao telefone a minha melhor amiga chorava... tinha que falar comigo. Fui a casa dela e então soube... Ela havia ficado mais tempo, a meia dúzia de pessoas que tinha ficado foram para um bar, beberam... Tu ofereceste-te para a levar a casa e o teu encanto havia-lhe sido irresistível. Que fazer, que dizer? Chorando, ela pedia-me perdão. Dizia-me que tinha sido uma loucura momentânea, um acto irreflectido, fruto do alcóol. E eu... perdoei. A ti, deixei de olhar para a tromba. Que doce sabor de vingança deves ter experimentado então. Odiei a pessoa pouco digna em que me transformaste.

A minha vida seguiu vazia e desprovida de sentido, tentando ignorar a tua existência nos meses que correram. Até ter caído em Educação Física. Torci o pé. Fui mandada mais cedo para o balneário. Tomei um duche quente e demorado, enrolei-me na toalha e parei junto ao lavatório, lavando as areias presas nos ténis, antes de os arrumar dentro do saco.

Umas mãos tapam-me os olhos, uns lábios deslizam pelo meu pescoço. Sou encostada com força contra uma parede, e antes de ter forças para gritar, sinto a tua língua nos meus lábios, o teu beijo sequioso, o peso do teu corpo contra o meu, a tua mão a subir-me pela perna até ao rabo que apertas com prazer visível no teu olhar... "Vim só ver se estavas bem" e foste-te...

20 comentários:

Merchi disse...

... obg pela visita ...

boa escolha musical ... há muito que não ouvia ...

Tia Cremilde disse...

vim à pressa... desculpe... vim só avisar que tem desafio lá no cantinho da tia!

Cati disse...

Hmmm... pelos vistos, se não estavas bem, ficaste!
O que dizer meu amor... adoro esta tua história. Fico à espera de mais desenvolvimentos, ansiosamente. Aquela história de que te falei... pode ser que consiga um dia escrevê-la... talvez um dia.

Por enquanto delicio-me com a tua!

Um enorme beijo com saudades das nossas cafezadas...

Professorinha disse...

Hum... os homens não deciam ter tanto poder sobre nós..

Venho também agradecer as tuas palavras de conforto.

Beijos

The Wolf disse...

ai os meus deditos...
ai ai...

Daniela disse...

Só um apontamento: Os homens são f.... Mas as mulheres são fortes! Muito mais fortes! Boa?

Gostei!

Atlantys disse...

Vim retribuir a simpática visitinha, cretamente voltarei mais vezes =))

Catarina, disse...

Homens homens mas bem... Estou a ver que ficaste bem naquele momento hihihi
:)

Quero mais e mais :p

Um beijinho *
cat

htsousa disse...

Não há mulher que resista a emoções fortes, independentemente de tudo. Vocês adoram um bom cabrão! Continuas a conseguir resumir muita história em pouco texto, muito bem.

Excelente história! (não interessa se real ou não)

Beijinhos.

PS - Só demorei a comentar porque fui comprar mais pipocas. Continuo colado a ler. ;)

tuga disse...

Nao é pra comentar o post... (rsssss) só pra dizer q tem presente no ultimo post. Estava a alterar quando passou por lá e deixou coment. Nem deu tempo para avisar. Mais tarde volto cá e vejo com atencao

Francis disse...

ena pá, como sou novinho, aqui claro, entro e saio em silencio.

Sofia disse...

Merchi, tb agradeço a visita e ainda bem que gostaste do Rufus!

Tia, resposta ao desafio em breve!!

Cati, espero um dia ler a história que anseias por escrever... sei que vai dar que falar!!! E tb tenho MUITAS saudades tuas!

Sofia disse...

Professorinha, se não fossem os homens a exercer também poder sobre nós, quem?! (não tens nada que agradecer). Beijos grandes e abraços bem apertados

Wolfie, alzheimer?!

Daniela, às vezes é bom dar parte de fracas - eles gostam e fazem-nos sentir bem com isso, não achas? Enganamo-los só um bocadinho!!! Beijinhos

Sofia disse...

Atlantys, é uma honra ter-te por cá!

Catarina, há muitos, muitos anos, não te deves lembrar, havia um programa de TV chamado "Ai, os homens" - inspiro-me nele... loloollol

htsousa, as mulheres adoram vários tipos de homem - cada espécie numa fase diferente da vida... e que homem nunca teve um devaneio por esta ou aquela cabra?! Apimenta a vida... (",)

Sofia disse...

Tuga, justiça ao presente já está feita!!! Obrigada pela distinção... fico muito orgulhosa.

Francis, os novos ainda têm que falar mais, para que a gente os fique a conhecer e comecem a fazer parte da malta, sem passar a velhos, claro! É bom ver-te por cá!

Thea disse...

Vê o lado positivo da história.
Naquela noite ele vingou-se e talvez te tenha feito pensar que para ele não eras mais que "mais uma". MAS ele não deixou de pensar em ti e na primeira oportunidade, aproveitou.

Afinal quem é que ficou "traumatizado" com quem? ;)

htsousa disse...

Nós não contamos, smos emocionalmente subdesenvolvidos. É das mulheres que se espera maior conhecimento interior!! ;)

Beijos.

Joseph disse...

Sofia
Olá,

Boa noite.
Aqui estou para agradecer a visita e para te dizer que estou muito contente que já estejas bem de saúde.

Não, não e não...deixar a história neste ponto é enervante. Então quando a temperatura começava a subir, e convém porque está frio, é que tu paras... não é justo. E o que eu gosto desse teu jeito de prosar...
Não sei se vou dormir sossegado.

Obrigado pelo teu post e amanhã a gente vê-se.

Beijocas suaves com carinho.

Vício disse...

ele viu se estavas bem antes ou depois de te enrolares na toalha?

xá-das-5 disse...

Ora muito bem.
Primeiros, ninguém deixa um cabrão sózinho com as amigas.
Segundos, ninguém tem que se levantar cedo no dia seguinte quando se lhes varrem os pés à vassourada.
Finalmentes, bolas mulher! Quem é que consegue entrar num balneário feminino dessa forma? Aliás, onde fica esse balneário femenino?

Ah, e tens a certeza que era ele? Assim, de costas?