quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Encontrámo-nos naquele dia, passado muito tempo de nos falarmos apenas e ocasionalmente. Adiáramos o nosso rendez-vous por muito tempo. Para que fosse mais desejado, para que nos fosse mais precioso. Porém, naquela manhã, o medo apoderou-se de mim. Era cedo, ou talvez tarde… ainda não havia chegado a hora, ou talvez já tivesse passado. Não estava preparada. E se te desiludisse? E se me desiludisses?
Um céu nublado espelhava as minhas emoções, sem saber se devia chover ou deixar o sol brilhar. Combináramos encontrarmo-nos no jardim perto daquele cinema de que tanto gostava. Não sabia exactamente onde era o sítio de que me falaras. Não foi difícil reconhecer-te. Parado, de pé, encostado a uma árvore, vestido de escuro, com ar ansioso, fumavas um cigarro e olhavas para o relógio. Estava atrasada. Apenas 10 minutos, como era meu costume. Mas tu não o sabias.
O choque da visão, levou-me a afastar-me antes que me visses. Observei-te durante uns minutos enquanto ganhava a coragem que parecia fugir-me a cada segundo. Meu Deus… Ansiava por tocar-te. Passar a mão suave e levemente pelo teu rosto, roçar os meus lábios pela tua barba de dois dias, o meu nariz frio na pele quente do teu pescoço, descortinando esse teu cheiro. Fiquei ali, ao abrigo de uma árvore, estática, vidrada em ti. Perdida nos meus pensamentos.
Olhaste em roda e mesmo vendo-me, não me viste. De novo olhaste o relógio. Desilusão estampada no rosto… e foste embora.

22 comentários:

lapa disse...

Será que Ele sabe disto?

Deves ter coragem e dizer-lhe.

AJO disse...

Uma vez mais um belo começo de uma história que espero acompanhar... escreves sempre tão bem... tão bonito... Beijinhos e até já.

Lisa's maus feitio! disse...

(...)
Muito, muito pessoal...
Não vou comentar mesmo... Apesar de me ficar a dúvida: pq n te aproximaste, afinal? Se tanto querias...

bjinho
Lisa

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sofia
Os encontros entre apaixonados têm esses desacertos todos de tanto que se quer acertar.
Mas mesmo assim é bom.

Tiago R Cardoso disse...

É nesta alturas que devemos deixar os medos para trás e querer ser felizes...

Vício disse...

muito importante o pormenor da barba de 2 dias! não há nada melhor para a comichão! :D

Anónimo disse...

Olá!
É a primeira vez que venho aqui, adorei seu blog!!
Até
http://sex-appeal.zip.net
http://cara-nova.zip.net

quin[tarantino] disse...

... menina e moça, numa vereda daquelas seria possível alguém passar e em vez de olhar para ti, optar pelo relógio?

KI disse...

Depois de ler este texto da caríssima Sofia eu dei conta dos seus desejos ali ao lado e gostava de lhe dizer que lhe desejo um 2008 cheio de coisas boas sejam botões que se coadunam com os humores e amores, sejam fechos que se apertam e desapertam conforme a vontade...

Quanto ao seu texto devo dizer-lhe que não me parece que um homem... não esperasse mais um pouco... será que m'engano?

Humm...

Besos

Professorinha disse...

Ai estes fins infelizes... Não ias atrás do rapaz?...

Vai vai...

Beijos

Cati disse...

Toda a magia de um blind date...
Eu também gostava de outro final.
Mas afinal de contas...

...I'm a bitch, right?!?

Big crazy kiss!

Joseph disse...

Sofia
Olá

Obrigado por teres ido até ao meu cantinho.
Tenho andado meio desaparecido, mas vou regularizar as minhas visitas.

Espero que estejas bem.
Amanhã volto.

Beijocas amigas
(Lá fora chove...)

A Lei da Rolha disse...

Uma situação que desejavas e não aconteceu, não foi?
Não pares de sonhar, e conta-nos sempre os teus sonhos porque tu escreves muito bem!
bjs

Joseph disse...

Sofia
Oi

Ontem li o texto, e agora estou na dúvida. Parece-me um texto só. (ou to be continued?)

Diz-me.

Quando nos aparece uma oportunidade e queremos concretizá-la, não a podemos deixar fugir, pois pode não voltar a repetir-se.

Continuas a escrever como sempre.BEM.

Beijokas(2)**

Belzebu disse...

Corre para ele e abraça-o, olha que porra! Que gente mais complicada, que deixa as coisas fugir por entre os dedos como areia! Desembucha, corre, ainda que atrasada, mas livra-te de te martirizares pela oportunidade perdida!

Aquele abraço infernal!

Mia Olivença disse...

Este post está maravilhoso... a magia que transmite "um desencontro"... A emoção de reencontrarmos o nosso primeiro grande amor...

Mas... Porque não te aproximaste?
Será um amor condenado? Proibido?

Se assim é, fizeste bem...

Mas lembra-te, nada é definitivo...

Mónica disse...

Encontros e desencontros...
Visões voláteis
Memórias permanentes...

Can't comment this today...

Tens aqui um desafio:
http://mnike31.blogs.sapo.pt/15354.html

Beijinhos

Casemiro dos Plásticos disse...

não tenhas medo, diz-lhe:)
beijo e optima semana

htsousa disse...

Adoro quando escreves este tipo de textos. Um excelente final!

Beijinhos.

Mr X disse...

Os encontros são sempre para serem desencontrados. Só assim valem a pena, porque terão de ser repetidos até que aconteçam. Assim há magia, desejo, tremeliques, dores profundas no peito.
E quando dá certo, certamente dará para sempre.

The Wolf disse...

tão perto, e tão longe...

Carlos Lopes disse...

Muito bonito, sofia. Como sempre, aliás.