sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Despontar... capítulo final


Passados dois dias, ainda eu não me sentia capaz de continuar a viver, capaz de sair e enfrentar o mundo, capaz de sentir e aguentar o teu olhar de desprezo, apresentaste-me a tua nova namorada. Não tenho adjectivos que possam descrever de alguma forma os meus sentimentos. Como se dentro de mim não houvesse nada senão água, e uma vez a pele desfeita, não passasse de uma poça de água dispersa no chão. Durante alguns meses vivi assim. Sem sentir alegria nem dor. Sem sentir. Passávamos um pelo outro, não nos falávamos, não nos olhávamos.
.
Passados quatro meses o telefone finalmente tocou. O que ouvi, espantou-me, matou-me e fez com que me refizesse. A chorar, com voz rouca disseste: "Que fui fazer? Está grávida, Maria! Ela está grávida. Não sei o que fazer. Tens que me ajudar". Então, de lágrimas nos olhos e pensando que não havia mais nada que aquele homem me pudesse fazer, nenhuma forma mais vil de me magoar, respondi gloriosamente, com uma voz suave e firme ao mesmo tempo: "Agora vais ter que ganhar juízo e começar a usar a cabeça de cima para pensar. Afinal de contas, deves isso ao teu filho". Desliguei.
.
Chorei. Chorei-me durante muito tempo. Chorei-te como se tivesses partido. Chorei-nos como se tivéssemos morrido. E tínhamos morrido de facto. Chorei até que a dor que o inchaço nos olhos me causava, não me permitisse chorar mais. Sentada na margem de um rio de águas paradas e turvas, via-me à tona a boiar, sem saber se estava morta ou apenas moribunda. As nossas vidas haviam capitulado. A tua para sempre. A minha, saiu do coma profundo passado um tempo. Saí da água, encostei-me a uma rocha e sequei ao sol.

35 comentários:

Cati disse...

(APLAUSOS DE PÉ)

Um grande final minha linda... mesmo EM GRANDE!
Amei. Adorei. O último parágrafo está verdadeiramente sublime.

(MAIS APLAUSOS)

Que este despontar não seja o último... Quero sentir-te mais, ler-te mais, envolver-me nas tuas palavras como se elas fossem esse rio de águas turvas. Mas dá-me sempre a chance de poder secar-me ao sol...

Adoro-te, para além das palavras.
Mas também te adoro por elas.

Beijo

Casemiro dos Plásticos disse...

escreves muito bem, parabéns!
que deusa, vénias pá.

The Wolf disse...

auuuuu!
finalmente!
lindo!

beijos
bom fim de semana!

Sadeek disse...

DASSEEEEEEEEEEEE......
Tu és brava mesmo, ó amiga Sofia!
Grande.....muito grande esta moça.

UM GRANDE BEIJO

Rafeiro Perfumado disse...

Só não acredito que não lhe tenham ocorrido adjectivos. Tenho mesmo a certeza que teria umas quantas centenas na ponta da língua... ;)

Francis disse...

eu não encontro melhor comentário que o da Cati.

isto parece que não tenho opinião, porque é a 2ª vez que recorro a comments já feitos, mas não quero mesmo é ser redundante.

have faith...
em bom tuga, tu tás lá.

Francis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sadeek disse...

È pá, ó Sofia, agora fora do contexto....

Sabes o que me parece a tua foto!? Não sei porque mas faz-me logo lembrar a "Scully" dos "Ficheiros Secretos"...

E pronto, era isto...

;)

quintarantino disse...

Espectáculo. Grande "finale"!

Joseph disse...

Sofia
Olá

Parece que sou bruxo.

Como previa, pelo desenrolar da história, e mais com o aproximar do seu final era lógico que o final nunca poderia ser um happy end...
Lógico.

Se calhar vamos fazer um contrato, vais escrever as minhas memórias militares "Memórias de um Sargento-Miliciano 66/70". Gostarias? Eu tenho tudo em agendas.

Passemos, para já, O Natal e a Passagem do Ano em Paz.

2 beijocas amigas, Sofia.

P.S. O questionário estava muito bonitinho.

princesinha urbana disse...

Que bela história e que belo final! Muito bem conseguido. Parabéns! :)

AJO disse...

LINDO... LINDO...LINDO FINAL... LINDA... LINDA... LINDA HISTÓRIA. Muito bem. Adorei ler estas palavras... é lindo. Não são possíveis palavras para descrever tão bonita história que aqui contaste. Desculpa Cati, desculpa Sofia, mas vou ter de copiar as palavras da Cati (APLAUSOS DE PÉ)
BJS enormes e bom fim de semana

Mónica disse...

Não li este post!
Quero ler todo o seu seguimento e para isso tenho que ter mais tempo!
No entanto, digo-te que o Zé tb já postou a sua parte da nossa história.
Está muito boa!
Beijinhos

Amsilva disse...

bom final, esperava algo do tipo, só não esperava esta intensidade!
revela o fim de muitas histórias, mas nem todas acabam com a força suficiente para seguir vivendo

venham mais destas!!

tuga disse...

Parabens..... Com o curriculum do artista muita sorte tem ele em nao lhe aparecer mais filhos a porta.

Carlos Lopes disse...

Muito bem, sofia. Belo final. Belo texto. Quando é que te aventuras noutra coisa assim?
(deixo aqui o link de um blog de um aluno meu de 13 anos que merece a pena visitar... e deixar comentário, já agora. Aqui vai:
http://pontofilipe.blogspot.com/
Obrigado.)

Tugafixe disse...

Olá Sofia!
Tenho muito prazer em entrar aqui no teu espaço. Li este teu último post. Uma situação destas na vida real deixa qualquer pessoa de rastos, tanto de um lado como de outro. Mas quero ler a história completa com mais tempo.
Agora só venho dizer que fui incumbido de informar que no B612 já está o 4º capitulo do nosso conto de natal. O 5º há-de ser meu!

Beijinhos!

Joseph disse...

Sofia,
Olá

Fiquei com a impressão que não concordas com o post.
Atenção porque não fui eu que escrevi.
"Um comentário não disse coisa com coisa... outro diz que não entende nada...outro foi anulado..." LOL

Já postei um poema para acalmar os ânimos.

Como sempre tive muito prazer em te ver por aqui. Está um frio brrrrrrr...

Vou ver o meu BENFICA à lareira (digo ao pé do recuperador)

Beijinhos** muito amigos.

Mr X disse...

Já tudo foi dito :)
Congrats, queridos olhos.
Mas água seremos e da água renacesmos.
Um grande bjum.

PS. esta agora acabou, escreve outra. Deves-nos isso.

Mr X disse...

´renascesmos é bom...

Sofia disse...

Cati, sentir-me-às ainda por muitos anos... and that's a promise!

Casemiro, deusa?! Deixa-me rir... Obrigada pelos elogios e pelas visitas.

Wolfie, custou, mas foi! :)

Sofia disse...

Sadeek, brava?! Havias-de ver quando me zango... lol
Com a Scully?! Mas a Scully era grande?!?!?! :O

Rafeiro, se eu escrevesse todos os adjectivos que me ocorreram para descrever tais sentimentos, o post ainda não tinha saído!!!

Francis, obrigada pelos elogios. A Cati fá-lo porque é minha amiga de carne e osso. Tantos elogios, vindos de ti, que não me conheces de lado nenhum a não ser da blogosfera, deixam-me sem palavras... many, many thanks!

Sofia disse...

Quintarantino, foi o final que se podia esperar... era previsível! De qualquer das formas, fico feliz por teres gostado.

Joseph, lol... lamento, ainda não estou a aceitar encomendas. PS - ainda bem que gostou do "presentinho"!

Princesinha urbana, ainda bem que correspondi às expectativas... só espero que agora não deixes de me visitar.

Sofia disse...

Ajo, baixo-me até ao chão em agradecimentos. Não merecia tanto. Drullin'... lol

Mónica, não leste?! ai, ai, ai! Volta já aqui! Acaba o que começaste!

AmSilva, final previsível de tão real... de facto, é o que acontece em muitas histórias reais.

Sofia disse...

Tuga, se eu algum dia me resolver a escrever o continuar da história, contando o que aconteceu aos personagens daqui para a frente, prometo que arranjo uma porradaria de filhos ao "animal"!

Carlos Lopes, ainda bem que gostaste. A tua aprovação tem muito valor, escrevendo tu como escreves... Já fui dar uma espreitadela ao blogue indicado. Assim que tiver mais tempo, volto, leio com o cuidado que merece e comento, bem comentadinho... Ah, e continua a motivar o rapaz, que tem futuro!

Tugafixe, obrigada pelo recado e bem vindo à minha caixinha. Deixa-te ficar por aqui e lê!

Sofia disse...

Joseph, ficaste com a impressão errada. Só aproveitei o teu post, muito pertinente, para lançar uma criticazinha ao acordo que pende sobre nós, como se duma guilhotina se tratasse... Quando ele for à frente, mato o meu blogue e deixo de escrever seja o que for!

Queridos olhos negros e tristes, a vida começa na água pura e acaba nela ensanguentada... ;)
Não devo nada... olha que sinto a pressão e fecho o tasco tão depressa quanto o abri! PS. nas 2 tentativas escrita de forma diferente, o que só prova o quanto renascer é difícil. "Renascemos", só para mostrar que não é impossível.

Tugafixe disse...

Olá Sofia!
Já podes ler o 5º capitulo do nosso conto aqui: http://tugafixe.blogs.sapo.pt/

Beijinho

Maria Papoila disse...

Adorei! estava à espera deste capítulo final e não fiquei nada desiludida. Muito, muito bom!
Beijos

A Lei da Rolha disse...

Ora aí está uma lição de vida...fria, comovente e com um final tremendo!
bjs

rps disse...

Acabou mesmo? Finalmente!

Shootingstar disse...

Não comecei a ler do início, portanto acho que já fiz batota... mas fiquei super curiosa para saber como começou (pois, sim, afinal sou batoteira e comecei pelo fim... )... snif snif... deixa-me desde já dar-te os parabéns pela forma de escrever... os restantes comentários farei quando ler tudo... um bom início de semana! bjinhos

Sadeek disse...

Bom dia Sofia,

Zangada não te quero ver!!! Tenho pânico de mulheres zangadas...

Grande como a Scully....enfim....achas que não era?! ;) Tu percebeste a ideia....

BEIJÃO

htsousa disse...

Com um final destes, e eu tão ocupado que nem cá pude vir ver!!
Excelente, de uma intensidade marcante, sente-se cada conflito interior, toda a complexidade da Maria!
Para superares este, acho que tenho o desafio ideal: no próximo, apresenta-nos dois pontos de vista! :P [Sou tramado? Acho que não, para ti vai ser fácil]

PARABÉNS!

Beijinhos.

JOY disse...

Olá Sofia ,

Só hoje consegui ver o fim da história , o gajo deitou-se na cama que andou a fazer teve o que merecia. Gostaria de continuar a ler coisas tuas .

Fica bem
JOY

Professorinha disse...

Oh... final infeliz... e eu que estava a torcer por um final feliz..

Mas muito bem escrito, sim senhora!

Gostei :)