terça-feira, 13 de novembro de 2007

Sem título

foto por Helder Capela - 1000 imagens

No céu estrelado
Nos perdemos em olhares
Vagos, profundos, pensativos,
Cheios de desejo.

Nos colchões rolámos
Entre corpos, almas e corações
Sentimentos tantas vezes traídos
Expectativas tantas vezes goradas
E mais nos desejamos ainda.

Apunhalados, escorridos,
Vazios e ainda querendo mais
Deste amor que nada traz,
Que nada pode dar,
Mas que decidimos viver
Enquanto ele durar.

10 comentários:

darkman disse...

mt fixe :)

" Jota Nuno ® " disse...

ola Sofia, tomei a liberdade de invadir o teu espaço e gostei e irei passar sempre k possa.

PS - Fiz um comento no blog do "ninho-de-cusco", obviamente nao era extensivo à tua pessoa, mas para as lady's k supostamente se julgam inteligentes e NÃO VALEM CÚ

bjs

O Profeta disse...

Um coração que segue em silêncio
Colinas, cumeeiras, doce aroma de pão
Descanso na paixão, caminho nela
Quantas estações, tem o coração?

Boa semana


Mágico beijo

Cati disse...

que o desejo perdure... e que arda eternamente... e que não fuja da realidade, que tantas e tantas vezes o mata.
PARABÉNS: está lindo...

Amsilva disse...

saudades de um amor condenado ao fracasso?
ou pelo menos esta é a minha interpretação, mas pode ser falha minha, hoje por hoje condeno tudo...
bjks

The Wolf disse...

as voltas do amor
de bons momentos
de momentos menos bons
dá sempre aquilo que lhe derem
enquanto ele durar

htsousa disse...

Ilustras muito bem aquilo que por vezes esquecemos, o amor não é útil, nem é bom enquanto é útil.
Simplesmente, enquanto existir, é! E nada como o viver enquanto durar, sem pensar em mais nada!

Professorinha disse...

No céu estrelado já me perdi...

Beijos

Rafeiro Perfumado disse...

Rolar entre corpos e corações parece um bocado filme de terror "Carnificina no Talho IV - O regresso do chispe assassino"... ;)

Sofia disse...

Bem observado rafeiro... mas tb há relações que são autênticos filmes de faca e alguidar! Faz de conta que esta era uma dessas...