domingo, 14 de outubro de 2007

Fim do mar...

Para lá... no fim do mar... existe todo um mundo novo sem ser novo! Novo para descobrir, velho de segredos e deuses marinhos e sereias escondidas... lá! no fim do mar, que os Ulisses e os Vascos imortalizaram, um mundo selvagem por desbravar onde respirar é algo natural, mas diferente... um mundo misterioso onde apetece mergulhar e morar, cheio de silêncios sonoros e cheiros inodoros, onde as cores são vivas e tudo é triste e feliz porque segue o seu curso calmamente; vivem para o seu destino, rindo das dúvidas que assolam as mentes humanas angustiadas por não saberem... lá sabe-se e sente-te e VIVE-SE, mesmo sem saberem que saber é preciso!

5 comentários:

redjan disse...

E podem falar da luz e do escuro ... e ainda assim continuarem a ser ? Somente ser ? ;-)

PS: private ... 10 minutes ok !!

Sofia disse...

Não ser, Red... VIVER!!! Gr8 difference!

tuga disse...

"lá sabe-se e sente-te e VIVE-SE
-------//---------
Sabe-se ....para sobreviver.
Sente-se..... A ausencia.
Vive-se...... na esperanca do reencontro.
Sei do que falo. Gostei. CUmprimentos

Sofia disse...

Ah bom... Tuga de volta aqui à minha tasca de humores e desumores!!! Ainda bem que gostou! E que volte mais vezes, será sempre bem recebido!
Boa semana

ze ceitil disse...

Sofia, as palavras têm significados definidos e pesos concretos mas a forma como se escreve é tão importante como aquilo que se quer dizer. Eu gosto do que escreve e, garanto-lhe, não tenho muito jeito para lisonjeador.
Uma das vantagens dos blogs é o descomprometimento: cada um vai onde e quando quer. Também por isso, volte quando lhe apetecer.
Beijinho