quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Uma resolução de dificuldades técnicas de aplicação para a Sinistra Ministra, um pequeno passo para a Educação ou o que resta dela para o comum dos mortais

Hoje foi dado um pequeno passo para tentar salvar o pouco de qualidade que resta no que resta de escola pública em Portugal.

marialurdesrodrigues3ix4

Quando a situação é a que se conhece é difícil falar em vitória, e a verdade é que mais haveria a ser feito, mas para já, deu sinais de vergar, o que nos dá motivos para sorrir e agradecer a todos os que, de uma forma ou de outra, lutaram pelos nossos interesses (professores, alunos, pais e meros cidadãos - são muitos os que tinham noção da "loucura" que era todo este processo avaliativo, que por agora só prejudicava pais, alunos e professores, mas mais tarde, daqui a 10 ou 15 anos, começaria a ter repercussões em toda a sociedade).

Passo a citar:

"A governante garantiu que vai manter o modelo de avaliação dos docentes, mas o mesmo será simplificado com alterações aprovadas hoje em Conselho de Ministros. Em causa está uma melhoria das condições do processo de avaliação ao nível de sobrecarga de trabalho, da excessiva burocracia associada a alguns procedimentos e da existência de avaliadores de áreas disciplinares diferentes. Estes foram os principais problemas detectados pela tutela, depois de realizadas audições junto das escolas e recolhidos pareceres de órgãos consultivos.

Na conferência de imprensa, Maria de Lurdes Rodrigues anunciou que os resultados escolares dos alunos vão deixar de constituir um parâmetro da avaliação dos professores, depois de se ter constatado que o critério em causa 'revelou dificuldades técnicas de aplicação'.

A redução do número de aulas assistidas de três para duas, foi outra deas emdidas de simplificação anunciadas. Estas aulas assistidas só se realizarão por solicitação dos docentes.

Outra alteração ao modelo de avaliação de professores prevê que estes profissionais passem a ser avaliados por docentes da mesma área disciplinar, sendo simplificadas as fichas de avaliação e instrumentos de registo.

O ministério da Educação compromete-se ainda a compensar nos horários dos professores avaliadores o tempo dedicado à avaliação".

in CM

Só espero que a notícia seja verdade!!!

10 comentários:

Cati disse...

Assim esperamos...
E eu ainda gostava de saber como é que eu vou ser avaliada se ficar sem componente lectiva!!!

Aguardo...

Um beijo grandalhão***

Ana Rocha disse...

Pois realmente não sei o q se passa
com estas mentalidades!
Os professores são mt importantes para os nossos filhos ou será que eles não tem filhos?!!!!!

Bjos

Moura ao Luar disse...

Espero que a situação se resolva o mais rapidamente possível, a confusão que se tem gerado não é benéfica principalmente para os alunos, desacredita todas as partes envolvidas perante os putos que já andam completamente passados da tola

nutmeg disse...

Finalmente uma luzinha ao fundo do tunel para os nossos professores.
Vocês são a base da nossa sociedade e isso tem que ser reconhecido!!

aespumadosdias disse...

Ainda não está tudo muito claro.
Há definição de objectivos?
Parece-me muito com a avaliação do ano passado.

Blossom disse...

é...pode ser que a coisa acabe por ficar menos mal...a ver vamos

beijoca e bom fim de semana

Carlos Lopes disse...

Sim, é verdade. Mas ainda há muito caminho a percorrer. E esse dificilmente será percorrido.

Carlos Lopes disse...

Sim, é verdade. Mas ainda há muito caminho a percorrer. E esse dificilmente será percorrido.

Vício disse...

a uma estupidez que a avaliação não fosse feita por docentes da mesma área disciplinar!
para isso já temos os pedreiros a avaliar os engenheiros sem conhecerem o trabalho que eles fazem!

lapa disse...

Parlapier...